sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Armação Ilimitada

Armação Ilimitada ficou no ar por quase quatro anos, que foram marcados pela irreverência, ousadia e efeitos de edição nunca usados na TV. Voltado para o público adolescente da Rede Globo, era exibido às sextas-feira às 21:20, entre 1985 e 1988, e que misturava aventura e esportes além de outros temas típicos da Zona Sul do Rio de Janeiro.

Os protagonistas, Juba (Kadu Moliterno) e Lula (André di Biase) viviam dois proprietários de uma agência prestadora de todos os tipos de serviço: do conserto de um toca-discos até a redação de um discurso para o presidente da República. Juntos embarcavam em várias aventuras - tudo isso para garantir o faturamento do mês e a adrenalina de cada dia.






Zelda Scott (Andréa Beltrão) era filha do exilado político (Paulo José) e estagiária do jornal Correio do Crepúsculo, tinha uma relação amorosa com Juba e Lula, formando um triângulo amoroso nunca solucionado porque a moça não via problema nenhum em amar os dois ao mesmo tempo.

E o Bacana (Jonas Torres)? Era um órfão muito esperto que se une a Juba, Lula e Zelda.

O Chefe de Zelda (Francisco Milani), chamado apenas de "Chefe", o editor do Correio do Crepúsculo aparecia sempre caricaturado de acordo com o que falava com Zelda (sempre ao pé da letra). Por exemplo, quando dizia que despachava os assuntos do jornal, aparecia num ritual de candomblé.

Ronalda Cristina (Catarina Abdala) era a melhor amiga de Zelda, e como esta mesma dizia, era a "rainha do último grito", ou seja, sempre aderia incondicionalmente à moda do momento.

O seriado inovou em diversos aspectos, tanto no texto quanto nas imagens. Os episódios eram narrados por Black Boy (Nara Gil), um DJ que tocava músicas e, ao mesmo tempo narrava e comentava as tramas, num cenário de estúdio radiofônico, provavelmente inspirado em personagem do filme The Warriors de 1979. 

O inesquecível seriado Armação Ilimitada já ganhou um prêmio Ondas, considerado o Oscar europeu da televisão. No ano de sua estreia na Rede Globo, 1985, a atração foi considerada a melhor série produzida para a televisão na opinião dos jurados do concurso. Até então, apenas dois programas brasileiros tinham recebido a premiação: o seriado Malu Mulher (1979) e o especial Morte e VIda Severina (1971).

A trilha sonora, creditada a Ari Mendes, tem o riff de guitarra na abertura retirado quase que integralmente da música Say What You Will, da banda Fastway, em seu primeiro disco, de 1983.


Assista o primeiro episódio de Armação Ilimitada aqui.
Quer saber mais sobre o seriado? Clique aqui também.



.

2 comentários:

Comédia disse...

"Macacos me mordão Vivian" , Que lembrança boa do armação ilimitada, não perdia por nada....

Chris Ferreira disse...

Eu amava Armação Ilimitada.
Acabei de fazer uma postagem no blog falando que recordar é viver e logo em seguida acho o seu blog. Estou maravilhada.
beijos