sexta-feira, 5 de março de 2010

Embarque neste Carrossel...

Na década de 1990, a novela mexicana fez a cabeça dos baixinhos brasileiros. Professora Helena, Cirilo, Maria Joaquina e toda a turma do “Carrossel” se tornaram tão populares que o SBT reprisou a novela quatro vezes e ainda trouxe duas outras temporadas da trama para o Brasil.


 
Carrossel teve 375 capítulos e foi produzida pela Rede Televisiva em 1989. Foi a primeira novela estrangeira a concorrer o Troféu Imprensa na categoria Melhor Novela, mas recebeu apenas um voto. A novela fez tanto sucesso que Gabriela Rivero, a atriz que interpretou a professora Helena, desceu a rampa do Congresso Nacional com o presidente Fernando Collor. Mais tarde, ganhou uma continuação, intitulada Carrossel das Américas, também exibida pelo SBT. Em 2002, foi feita uma outra versão da novela chamada Viva as Crianças - Carrossel 2.

Bom, a professora Helena é a personificação de tudo que é bom, amiga e mãe de seus alunos. Era amada por todos e tinha uma enorme paciência e ternura.

Cirilo Rivera era um menino pobre e negro, caracterizava-se por sua ingenuidade, sendo motivo de chacota para seus colegas, dentre eles o temível Paulo Guerra. Cirilo era apaixonado pela Maria Joaquina Villa Señor, mas não era correspondido, pois era racista. Ai, como sofreu esse menino e eu torcia pra chata da Maria Joaquina amolecer o coração.

Kokimoto Mishima era um garotinho oriental, tinha uma faixa de caratê na cabeça e o guarda-costas do temível Paulo Guerra. Porém, era um bom menino e mais tarde substituído do cargo de braço direito de Paulo por Mário Ayala.

Davi Rabinovich não perdia tempo com a mulherada, tendo como affair a levada Valéria. A sua grande atuação foi na cena em que teve que sacrificar seu animal de estimação, uma tartaruga, para fazer uma sopa milagrosa para curar o porteiro Firmino de uma forte gripe. A idéia veio quando a professora Helena em uma das aulas disse que uma sopa de tartaruga poderia até ressucitar os mortos.

Valéria Ferreira, no auge da pobreza, quando seu pai perdeu o emprego, costurou roupinhas de boneca durante a madrugada para tentar vendê-las na escola. Pelas manhãs motrava-se exausta e era repreendida por seus familiares, que não sabiam da sua boa ação.

Jaime Palillo era um gordinho de coração enorme e sempre dizia: "Que droga de cabeça!" quando não acertava um problema de matemática. Temia o seu pai Rafael Palillo, um mecânico de automóveis de bom coração, mas que sempre brigava com ele na hora de assinar o boletim.

Laura era doce, meiga e romântica. Passava o dia com um grande sanduíche nas mãos e sempre suspirava um "Isso é tão romântico!". Adorava ela.

Carmem Carrilho era uma menina estudiosa e extremamente pobre, que sofria a separação dos pais. Destacou-se na novela ao sofrer de apendicite aguda, precisando ser urgentemente operada pelo pai de Maria Joaquina.

Mario Ayala entra na metade da novela. Filho de um carregador de batatas e vivia também com a madrasta e meia-irmã. Em seu primeiro dia de aula se comportou tão mau que fez a professora Helena chorar. Mas com o passar do tempo foi se tornando mais comportado. Possuia um cachorro chamado Rabito, que a uma certa altura se sentiu na obrigação de devolvê-lo para sua dona que vivia numa cadeira de rodas e anteriormente se chamava Caramelo. A menina deu um outro cão para Mario, o qual também recebeu o nome de Rabito e se tornou o mascote da Patrulha Salvadora.

Paulo Guerra era um problema, sempre aprontando com tachinhas na cadeira da Laura, com planos maquiavélicos contra o Cirilo e sempre com sua inseparável funda. No final da novela, Mario começa a ter pesadelos como metade pássaro e metade menino, chamado de Corvo Vingador, e a partir daí passa a refletir para não acabar sozinho e sem amigos.

Maria Joaquina era uma menina rica, filha de um renomado médico, bonita, egoísta e que menosprezava os seus colegas. Mas com o tempo aprende a dar valor para as coisas da vida.

Marcelina Guerra é irmã de Paulo, sendo o oposto do irmão, defendendo os injustiçados Cirilo e Laura.

Adriano era secundário na trama, aparecia pouco e dividido entre bocejos e cochilos.

Daniel Zapata era o líder intelectual da turma e criador da organização filantrópica e sem fins lucrativos "Patrulha Salvadora".

Bibi Smith era descendente de americanos e às vezes falava expressões em inglês.

Clementina tinha uma voz insuportável e mantida sobre cárcere privado por suas tias ultra-conservadoras Rosa e Clara. Morava atrás da escola, mas nunca havia estudado e a Patrulha Salvadora a libertou deste mundo.

Jorge Delsalto era um invejável menino rico, possuidor de um carrinho branco motorizado e arrancava sorrisos e piscadelas de Maria Joaquina. Sua memorável participação foi a corrida entre ele e Cirilo e também quando Daniel Zapata deu um soco na sua nuca, ficando com cegueira temporária e usou isso para incriminar o garoto.

A diretora Oliva era o oposto da doce Helena, solteirona amarga e autoritária. Presenteou Jaime Palillo com uma nota zero após ser pego colando na classe.

Firmino era o velho porteiro amigo dos alunos, sempre os acobertava. Mais tarde houve a substituição do ator, o que nos leva a supor a morte do ator original.


Bom, lembro de muitas cenas, se colocar todas aqui o post vai ficar muito grande, então, deixo para que vocês digam ou enviem materiais para podermos matar as saudades. Esta foi a novela que mais gostei, não perdia um capítulo sequer. Era tudo simples, original e cativante. Vivíamos cada detalhe das histórias e nos identificávamos com muitas das crianças pelo cotidiano e pela idade. Quem não queria ter uma professora Helena? E sempre que gostamos de uma série ou desenho, temos um personagem favorito, mas nessa novela, por incrível que pareça não tinha aquele que se destacasse mais, todos tinham qualidades e características únicas.

Sei, o post ficou imenso, mas foi uma novela que marcou muito a infância de muita gente, quando vi algumas cenas no YouTube quase tive um "piripaque". Tem o episódio em que Carmem tem uma crise de apendicite. Ah, que saudades!

Ainda no YouTube, tem uma reportagem super legal falando sobre os personagens. E, aqui tem um vídeo com a professora Helena e alguns de seus alunos 15 anos depois.


.

Um comentário:

Dani disse...

Adoravaaaaaaaaaaaaaa Carrosel
Até hoje tenho uma blusinha com a foto dos personagens da novela...
òtimos tempos
Valeu por me fazer recordar
Ótimo blog
Abraços