domingo, 30 de novembro de 2014

Adeus mestre! Adeus Chaves!


A vila hoje está assim, sem festa da boa vizinhança, sem brincadeira da cruz vermelha, ninguém está caçando churruminos e nem esperando o senhorio da vila para dar uma pancada. Em algum lugar, mesmo sem ser Peter Pan, ele nunca vai crescer. A gente nem faz ideia do valor e da genialidade dele, talvez nem ele mesmo o fizesse. O heroísmo dele vai além do Chapolin, ele é latino de um país do terceiro mundo, cheio de chaves espalhados por aí e fez o mundo prestar a atenção no que ele tinha criado. E para muitos, como é no Brasil, ele nunca deixará de ser um gênio. Coma quantos sanduíches de presunto quiser e descanse em seu barril. Estaremos esperando você pra rir no mesmo lugar, no mesmo horário e no mesmo canal.

Texto extraído do Facebook

Nenhum comentário: